Filosofia & Bolachas



Abaixo com a cultura! Viva o Daniel!


Mandem-Me Mail, Sacanas!
ou então, falem comigo no AOLIM: DivineComedian42 Arquivos
(onde guardo os meus velhos posts)

Livros recentemente lidos:
"Fraeulein Else", Arthur Schnitzler
"The Complete Works Of Oscar Wilde" (em passo lento, em alternância com outras leituras)
"Sermões Escolhidos", Padre António Vieira
"Poesia Lírica", Luís De Camões
"Teatro De Gil Vincente"

Blogs (em língua Portugesa)
A Buzina Do Meu Carro É Ridícula
bisturi
Nocturno '76
bomba inteligente
Diário De Bordo-Inépcia
Filhos de Viriato
O Blog Da Papoila
deslizar no sonho
respirar o mesmo ar
doendes & duentes
sushi com colera
Cá & Lá
Contre Le Sexisme
Levante
Barnabé
Ginger Ale
Blog De Esquerda II

Blogs (em língua Iglesa)
If Then Else
Mental Fog Box
Hipster Detritus
Freezing To Death In The Nuclear Bunker
I Held Her In My Arms
radio free narnia
NYLPM
Sick & Tired Of Watching Shite

Publicações abençoadas com a minha escrita:
Hip-Hop Nation
A Puta Da Subjectividade
CultureDose

Links:
Fórum PTWeblogs
ILX
Seanbaby
X-Entertainment
I HATE MUSIC
Your Favourite Band Sucks
Robert Christgau
Inépcia This page is powered by Blogger. Isn't yours?

domingo, março 30, 2003
 
(Quanto a mim, obviamente não sou romântico mas sim realista, como o gajo aí abaixo. O que me vale é que, tal como ele, sou um realista imperfeito.)



PUNK AS FUCK!!!



 
Este ano inteiro X tem brincado com a escola; as notas dele são ao meu saber mediocres em quase todas as disciplinas, mas o que é mais grave é o facto que o são em Psicologia, visto que ele quer ir para psicólogo. Este desenvolvimento não me surprendeu assim tanto (parece que toda a gente está mais do que farta da escola; bizarramente, eu só agora comecei a saber apreciar-la), mas preocupou-me: X não é um idiota, tem potencial para grandes coisas. Assim como assim, não é da minha conta e nunca me passou pela cabeça dar em apóstolo de moral. Eu mal sei qual é o sentido do ensino superior, que autoridade tenho para o explicar a outros?

Sexta-Feira V contou-me o que realmente se passa. Se X passar de ano, terá que ir para a universidade no continente, longe daqui; enquanto isto, Z, a namorada de X, está a completar o 11º ano. O resto é facil de decifrar: se X não passar de ano e Z o fizer, é bem provável que acabem na mesma turma.

Há que notar que X é uma das pessoas mais sardónicas que alguma vez conheci; cheguei até por vezes a desconfiar que ele é niilista. Parece que me enganei: é romântico!

Na tarde do mesmo dia, encontrei Z e falei um bocadinho com ela. Nunca tinhamos falado muito, e visto que ambos nos encontravamos num miséro intervalo de dez minutos, tambêm não posso dizer que desta vez o fizemos; mas mesmo assim, descobri algo na aura de Z, algo no seu timbre e nas ideas que transmitia, em que nunca tinha reparado antes. É uma pessoa forte, convicta, energética. Fala com uma autoridade espantosa, o contraste perfeito para o sacrasmo continou de X. Espero que consigam ficar juntos; bem merecem.



sexta-feira, março 28, 2003
 
Apesar de eu viver numa aldeia situada bastante longe da minha escola, e por consequência ter que andar de carro quando chego à/regresso da escola, tenho tambêm um outro lugar onde posso relaxar um bocadinho entre as aulas- lugar este que fica a cerca de cinco minutos de distância da escola.

Ora bem, ocorre que quando inicio a minha caminhada deste lugar até à escola, atravesso sempre a estrada duas vezes; primeiro na horizontal, para chegar do lugar onde estava para o canto onde costumava estar o restaurante Chinês (e porra, porquê é que já não está?? Sinto falta das minhas pernas de frango com mel...) e depois na vertical, para sair desse canto e iniciar a minha longa caminhada para a frente ao longo da fábrica de cerveja que nas festas serve como lugar de diversão para a juventude da ilha, onde se pode consumir quantidades obscenas de cerveja enquanto se ouve a última música foleira dos System Of A Down (sim, sim, admito que sou um bocadinho rabugento- tive que sofrer rendições espontáneas de "All Angels Deserve To Die!" por parte dos meus colegas mais do que pode ser saudável, sabem- mas que lema provocante, que frase profunda! Bah...onde é que eu estava? Ah sim...)

De qualquer forma, há passadeiras em ambos os lugares que passo, e portanto é bastante frequente o mesmo carro cruzar duas vezes o meu caminho. Por isso impus a mim mesmo a seguinte regra: se passo à frente de um carro na primeira passadeira, deixo o passar na segunda. Não só é uma boa acção, como tambêm dá uma certa regularidade à minha vida.




quarta-feira, março 26, 2003
 
Há dois dias atrás, uma amiga minha- uma pessoa normalmente completamente racional, cujos conhecimentos e paixão sobre a cultura Gréco-Romana sempre me deixaram com um sentimento de imensa inveja- disse que odiava "tudo que vinha da América".

Como?

What the fuck???

Eu chamei-a de "extremista", mas o que devia ter feito era ter-la chamado de ignorante. No War On Iraq, imperialismo cultural, blá, blá, blá, está tudo muito bem. Mas lá por se discordar das atitudes políticas de um país, vai-se agora tambêm negar todo o valor cultural do mesmo? E para fazer as coisas ainda piores, ela veio-me com esta frase: "Nós temos O Encoberto e os Americanos não."

Dica do dia: quando se quer demonstrar a superioridade cultural de um pais à outro, convêm não se basear em textos de poetas mortos.

Woody Allen. Bob Dylan. Pharell Williams. Spike Lee. Chris Rock. Trey Parker & Matt Stone. Conan O' Brien. Martin Scorcese. Robert DeNiro. Quentin Tarantino. Jello Biafra. Marshall Mathers. John Stewart. The Onion. Robert Altman. John Waters. Dave Schapelle. The Wu Tang Clan. Sarah Vowell. Janeane Garofalo. Joss Whedon. Bill Waterson. Frank Miller. Gary Larson. Robert Christgau. Dave Marsh. Seanbaby.com. Rakim. KRS-ONE. D'Angelo. Scott Walker. Michael Stipe. Stevie Wonder. Bruce Springsteen. Jerry Seinfeld. Randy Newman. William Faulkner. Steve Martin. Richard Pryor. Jay-Z. Outkast. Marlon Brando. Greil Marcus.

Existirá um país sequer no mundo inteiro com um leque tão variado e tão impressionante de artistas magnificos ainda vivos? Não a Alemanha, não a França, e de certeza não Portugal, que ainda está a masturbar sobre as páginas da Mensagem e dos Lusiadas. E isto é falando apenas dos que estão vivos.. sim, porque a América tambêm tem os seus escritores mortos, grande parte dos quais do século vinte- Jack Kerouac, Allen Ginsberg, F. Scott Fitzgerald, James Baldwin, John Steinbeck, etc. Este hábito (costumava pensar que é Português, mas parece que é verdadeiramente Europeu) de se gabar de uma superioridade cultural citando apenas exemplos de pessoas que já morreram há cem anos ou mais (não é o caso de Pessoa, bem sei, mas é o caso de muitos outros dos que são usados para estes fins) é deveras enjoativo. Se existe algo pior do que snobbismo, é snobbismo que não tem nada na mão para o justificar a não ser um cartaz a dizer "nós fomos bastante importantes há 200 anos atrás".

Por isso, passei os últimos dois dias a compilar um CD de canções de protesto anti-guerra feitas por artistas Americanos e a traduzir as letras das mesmas. Eis o resultado:

Land Of The Free: Canções De Protesto Anti.Guerra Por Artistas Americanos
1-Edwin Starr:War
2-Love:The Red Telephone
3-J-Live:Satisfied?
4-Iggy & The Stooges:Search & Destroy
5-Stevie Wonder:Vision
6-Randy Newman:Political Science
7-Bob Dylan:John Brown
8-Sonic Youth:Disconnection Notice
9-Desaparecidos:The Happiest Place On Earth
10-Bruce Springsteen:Born In The U.S.A. (Acoustic Version)
11-Public Enemy:Black Steel In The Hour Of Chaos
12-The Dead Kennedys:Kill The Poor
13-Pearl Jam:Do The Evolution
14-Marvin Gaye:What's Going On?
15-Bob Dylan:With God On Our Side